facebook-hoover twitter-hoover behanse-hoover ukbettips-hoover
Betting tipsPronosticos apuestasPonturi pariuriPronostici scommesseWetten tippsAposta e Ganha

COPA DO MUNDO FIFA DE 2014: NIGÉRIA

As Eliminatórias para chegar ao Brasil deram a chance para a safra atual da Nigéria sair da sombra dos heróis nacionais da década de 90.
victormoses
Nigeria forward Victor Moses

Era a época que Stephen Keshi, que estava mais familiarizado que a maioria, tendo viajado como jogador experiente, destoava  em  meio à uma equipe Nigeriana  jovem e vibrante, que fez a sua estreia no torneio em 1994, como atual campeã africana.

O ataque dinâmico formado por Daniel Amokachi e Rashidi Yekini - 31 anos sendo um dos mais velhos assim como Keshi -foi ajudado por um elenco de apoio com jogadores do nível de Finidi George, Sunday Oliseh , Jay- Jay Okocha e Emmanuel Amuneke .

A Nigéria se classificou na fase de grupos junto com a Argentina e, a que viria ser semifinalista, Bulgária. Nas oitavas, Amuneke fez o gol que por dois minutos poderia ter derrotado a finalista Itália e o irreprimível Roberto Baggio. A seleção que viria a ser vice campeã empatou e levou a disputa para a prorrogação, e com um gol de pênalti eliminou os africanos.

O núcleo daquele grupo voltou na França em 1998, muitos deles impulsionados pelo ouro olímpico em Atlanta conquistado dois anos antes, e a euforia ficou maior ainda com uma notável vitória por 3 a 2 sobre a Espanha na estreia da Copa. Mas a Nigéria acabou eliminada nas mesmas oitavas de final de quatro anos antes.

No século 21, as diferentes seleções da Nigéria, subsequentes àquelas que fizeram sucesso nos anos 90, não conseguiram ter um impacto tão grande, desclassificadas na fase de grupos de 2002 e 2010, sem uma vitória sequer. Enquanto em  2006 a equipe nem se classificou para a Alemanha.

Um paralelo fascinante entre hoje e 1994 é que esta é a primeira Copa do Mundo desde então que a Nigéria irá como campeã africana.

Naturalmente, a ansiedade já tomou conta do país, com o presidente Goodluck Jonathan dando uma declaração pública afirmando que a Nigéria é candidata a levantar a taça.

Espanha, Alemanha, Argentina e o anfitrião Brasil estão entre as equipes que poderiam rapidamente acabar com as ambições de Jonathan, mas uma melhoria significativa em relação às lamentáveis campanhas da última década está facilmente ao alcance de Keshi e sua equipe.

A equipe de 1994 foi a primeira com jogadores nigerianos nas grandes ligas da Europa. Mas hoje a presença de seus conterrâneos é tão grande quanto nos melhores momentos da história recente.

O goleiro do Lille, Vincent Enyeama , o zagueiro do Celtic Efe Ambrose , o meia John Obi Mikel  assim como a dupla de atacantes Victor Moses e Emmanuel Emenike  todos do Chelsea, fornecem uma espinha dorsal de base europeia. Mas Keshi esquiva-se das críticas por persistir com um número considerável de jogadores que atuam no campeonato nacional, inspirando uma forte lealdade com o seu grupo.

O treinador, que é o único Africano a se qualificar para a copa do mundo com dois países diferentes, já que se classificou à frente de Togo, mantém uma relação tempestuosa com a federação nigeriana . Estando enraizado em uma contínua disputa salarial os dirigentes viram o comandante se demitir e então rapidamente  voltar atrás após a conquista Copa Africana de Nações (CAF).

Em 2006, ele separou-se de Togo antes da disputa da Copa do Mundo e seria tolice descartar uma volta à competição. No campo, a forma da classificação direta da Nigéria faz as suas perspectivas de sucesso difíceis de avaliar.

Caiu em um grupo relativamente inofensivo na CAF na companhia de Malawi, Quênia e Namíbia, e serenamente acumulou três vitórias e outros tantos empates para progredir. Sem nunca demonstrar (nem  precisar) força máxima.

Nnamdi Oduamadi arrancou um empate aos 88 minutos para evitar o constrangimento de uma derrota em casa para o Quénia. Mas a Nigéria teve sua qualidade testada novamente contra a Etiópia, quando Behailu Assefa  aproveitou um erro do goleiro Enyeama na disputa final da vaga.

Porém Emenike decidiu o jogo de ida com um grande gol de empate e um pênalti convertido no último minuto. No jogo de volta, Moses abriu o placar de pênalti e um mergulho magnífico de Victor Obinna selou a classificação por 4 a 1 no placar agregado em Calabar.

Moustache webdesign